Cirurgia para reconstruções ósseas de boca e face

reconstrucao-facial

 

Algumas doenças ou traumas podem causar sérios danos às estruturas faciais. Assim, estão disponíveis técnicas cirúrgicas de reconstrução facial com enxertos e uso de biomateriais que podem servir de base para os tecidos moles da região, melhorando a aparência e, muitas vezes, devolvendo a função perdida.

É bastante comum utilizar técnicas reconstrutivas em pacientes que passaram por um tratamento de câncer bucal. Muitas vezes, quando as lesões malignas são detectadas tardiamente, é necessária a realização de uma cirurgia radical que remove a lesão e os tecidos que a circundam, causando grandes perdas funcionais e estéticas aos pacientes.

Entre as consequências estão a perda da mandíbula, da língua, do palato (céu da boca) e todo o rebordo superior, da parte interna e externa do nariz, de um ou ambos os olhos, de parte do couro cabeludo, dentre outros.

Para reparar áreas grandes afetadas, uma parte de músculo com ou sem pele pode ser deslocado a partir de uma área próxima, como o tórax ou parte superior do dorso. Hoje, graças aos avanços da cirurgia microvascular, os cirurgiões têm mais opções para a reconstrução da boca e da orofaringe. Tecidos de outras áreas do corpo, como intestino, músculo do braço, músculo abdominal ou osso da perna, podem ser usados para substituir partes da boca, da garganta ou do osso maxilar.

A parte óssea do paciente pode ser reconstruída com o uso de pinos e placas de titânio, além de enxertos de osso do próprio paciente, retirado de regiões como as cristas do ilíaco, tíbia, costelas, escápula e calota craniana.

 

O padrão-ouro da reconstrução óssea é a utilização de retalhos ósseos vascularizados pela técnica microcirúrgica, uma vez que permitem cicatrização primária, ofertam tecido altamente vascularizado e com maior resistência à radioterapia e aceitam posterior reabilitação dentária. Esses fatores afetam positivamente os resultados estéticos e funcionais, melhorando a qualidade de vida do paciente.

 

Em caso de traumas violentos, como acidentes automobilísticos, acidentes de trabalho, dentre outros, que podem mutilar o paciente, procedimentos semelhantes podem ser realizados. Além disso, o paciente também pode consultar um especialista em prótese bucomaxilofacial, que confeccionará próteses personalizadas para a substituição estética da estrutura perdida.