Cirurgia Ortognática

banner-ON-ortognatica

Devido principalmente à miscigenação da população brasileira, a discrepância entre os ossos da maxila e mandíbula pode ser observada com frequência. Além de danos estéticos, como o queixo muito proeminente ou retraído e mordida aberta, o desequilíbrio entre o posicionamento desses dois ossos pode trazer problemas articulares, de respiração e de oclusão. A cirurgia ortognática corrige uma série de pequenas e grandes irregularidades do esqueleto e dos dentes e é realizada por cirurgiões bucomaxilofaciais para realinhar os ossos maxilares e os dentes, melhorando funções como a fala, a mastigação e a respiração. É uma cirurgia divulgada por seus benefícios estéticos, mas deve-se ressaltar que sua realização tem prioritariamente objetivos funcionais. O tratamento deve ser realizado juntamente com um ortodontista, que irá posicionar corretamente os dentes para que haja uma oclusão perfeita após a reposição dos ossos.

A cirurgia consiste em reposicionar as bases ósseas buscando o equilíbrio e a harmonia. O procedimento é realizado no hospital sob anestesia geral e o pós-operatório demanda uma série de cuidados. O processo de recuperação pode ser longo; os benefícios, entretanto, podem ser observados em pouco tempo. É possível realizar cirurgia cosmética concomitante à cirurgia ortognática – avalie essa possibilidade com seu cirurgião.

PRINCIPAIS INDICAÇÕES DAS CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS

 

  • Dificuldade de mastigar ou morder alimentos;
  • Dificuldade de engolir;
  • Dores crônicas nos maxilares ou nas articulações dos maxilares e dores de cabeça;
  • Desgaste excessivo dos dentes;
  • Mordida aberta (espaço excessivo entre os dentes superiores e inferiores);
  • Aparência desequilibrada da face vista de frente ou de lado;
  • Lesões ocorridas à face ou defeitos de nascença;
  • Queixo retraído;
  • Maxilares salientes;
  • Incapacidade para fazer os lábios se encontrarem sem precisar fazer esforço;
  • Respiração crônica pela boca e boca seca;
  • Apneia obstrutiva do sono.

 

ETAPAS DA CIRURGIA CORRETIVA DOS MAXILARES

 

  1. Ortodontia pré-operatória: antes da cirurgia, um ortodontista, por meio de aparelhos ortodônticos, moverá os dentes para uma nova posição. Essa fase durará de seis a 24 meses. Você poderá ter a impressão de que sua mordida está piorando ao invés de melhorar, mas, após a cirurgia, os dentes se encaixarão perfeitamente eo cirurgião bucomaxilofacial e o ortodontista trabalharão juntos para ajustar os detalhes da sua mordida.

 

  1. Registros pré-operatórios: após o tratamento ortodôntico pré-operatório, realizaremos radiografias, fotografias e modelos de seus dentes que orientarão o planejamento cirúrgico e a cirurgia.

 

  1. Preparação para a cirurgia: seu cirurgião avaliará seu histórico médico e fará uma avaliação física. Você receberá medicações e instruções nutricionais. Serão requisitados exames laboratoriais e uma consulta com um anestesista.

 

  1. A cirurgia: esse tipo de cirurgia é complexo e poderá durar várias horas. Os ossos maxilares poderão ser enxertados, reposicionados e moldados, com fixação por placas cirúrgicas e parafusos. É possível que os maxilares reposicionados tenham que ser prendidos um ao outro por arames e elásticos, que permanecerão por alguns dias ou semanas. As incisões, em geral, são realizadas dentro da boca e não geram cicatrizes visíveis. Quando necessário, são feitas pequenas incisões fora da boca, realizadas de modo a minimizar as futuras cicatrizes.

 

Após a cirurgia: você será levado a um quarto de recuperação até que o efeito da anestesia geral cesse. Nele, você receberá líquidos e medicações intravenosas para ajudar no processo de recuperação e controlar qualquer desconforto. É possível que seja necessário permanecer no hospital por alguns dias. Você receberá orientações para uma dieta modificada, com programação para avançar para uma dieta normal. Tabaco e atividades físicas rigorosas deverão ser evitados. As dores serão manejadas por meio de medicação analgésica, que será prescrita pelo seu cirurgião. A maior parte do inchaço cessará em dez dias, mas a recuperação total se dará em alguns meses. É possível que haja congestão nasal e dor de garganta após a cirurgia, que melhorarão com o tempo. Você poderá retornar às suas atividades de uma a três semanas após a cirurgia, dependendo de como estiver se sentindo. A recuperação completa leva de nove a 12 meses. O cirurgião determinará quando seu ortodontista deverá iniciar os ajustes da mordida pós-cirúrgica, etapa necessária que pode durar cerca de seis meses.

 

  1. Acompanhamento: seu cirurgião e seu ortodontista determinarão a frequência necessária para a realização de check-ups e avaliação da estabilidade de sua mordida.